Home / Família / Especial Dia da Mães: Desafios de ser Mãe de 2 Bebês.

Especial Dia da Mães: Desafios de ser Mãe de 2 Bebês.

Olá meninas, tudo bem?

No ano passado fiz uma série aqui no Mamãe Plena que me deixou extremamente realizada, uma série com 7 posts escritos com muito carinho para uma das datas mais carinhosas do Ano: o Dia das Mães. Na ocasião, escrevi com meu segundinho em meu ventre, ansiosa pela sua chegada e cheia de expectativas de como seria a vida com 2 bebês.

Hoje volto com esse mesmo objetivo, de dedicar 1 semana inteira de posts para vocês, Mamães ou Futuras Mamães, compartilhando um pouco das minhas experiências como mãe, como mulher e como obstetra, nesse universo tão encantador que é a Maternidade.

E o primeiro tema não podia ser outro: a vida doida de uma mãe de 2 bebês!

Ah, se vocês acompanharam a série do ano passado, viram que o último post dela, publicado no Dia das Mães, foi o relato do meu primeiro parto. Pois bem, exatamente naquele dia recebia alta hospitalar com meu Gustavo nos braços. Tive uma outra experiência de parto, bem diferente e maravilhosa. Então, não deixem de conferir pois claro  que ao final dessa série vou compartilhar com vocês, no nosso tão querido Dia, no próximo domingo, o relato do meu segundo parto!!! Vai ser muito especial!!!

Mas, o que posso dizer de uma vida de mãe de 2 bebês??? De uma maneira bem simplista, é uma vida sem tédio, sem monotonia! Kkkkk. Com isso quero dizer que é uma vida completamente doida e que não sobra tempo para nadaaaa!!!! Isso sem mencionar a fama de “armário ambulante” que ganhamos, pois é impossível sair de casa sem parecer literalmente um armário: bebê grudado de um lado, mala de outro, bolsa no pescoço, filha grudada na perna, e por aí vai!.

Como eu já mencionei outras vezes, ter dois filhos próximos foi uma opção de nós dois, e não foi um “acidente”. Essa opção foi bem consciente e levamos em consideração diversos pontos como nossa idade, nossa rotina de vida, nossos objetivos como família, dentre outras coisas. Mas sabia que não seria um processo fácil, e realmente não foi.

O maior obstáculo que enfrento nessa minha atual realidade é o cansaço. Tá certo que tenho uma rotina muito atribulada, vários empregos, mas sempre me senti mais disposta do que tenho me sentido ultimamente, e hoje em dia trabalho menos. Sempre planejo muitas coisas para fazer a noite, quando as crianças vão dormir, mas não consigo fazer nada, só tenho energia para tomar banho e dormir… Sempre dormi pouco e não via problema nenhum nisso, mas hoje em dia tenho uma necessidade real de dormir mais. O corpo não aguenta.

Além disso, senti um pouco de dificuldade nesse primeiro ano de mãe de 2 pelo fato deles, apesar de terem idade próxima, estarem em estágios completamente diferentes de vida – nesse ponto acho que mãe de gêmeos leva uma pequena vantagem – então não conseguia padronizar alimentação, horário de natação, tipo de brincadeira e coisas do tipo. Gente, ter que fazer 2 tipos diferentes de comida todo dia é coisa de doidoooo! E 2 tipos de leite, 2 tamanhos de fralda…

Por fim, um ponto negativo que não podia deixar de falar para vocês é da mudança que senti no relacionamento com meu marido. Namoro mesmo. Senti muito mais diferença agora com 2 do que antes com apensas 1 bebê, pois além de termos pouquíssimo tempo para ficarmos só nos 2 (é muito mais difícil pedir ajuda para cuidar de 2 bebês do que de 1), quando estamos sós, estamos esgotados!!! Acho importante falarmos sobre isso, pois às vezes parece que na casa do outro vai tudo bem, só na nossa que não. A solução, aqui em casa, foi muita conversa, muita compreensão, muito apoio de um para o outro.

Mas, se acalmem. Temos mais pontos positivos que negativos. Comecei falando da parte chata para finalizar o post lá em cima! Uhuuuu!!!!

Não me arrependo nem por 1 minuto de ter tido 2 bebês, em especial pois nunca me senti tão amada, tão completa, tão especial como me sinto hoje em dia. Gente, amor gera amor e essa multiplicação é visível quando vem o segundinho.

Meus dois bebês estão sempre juntos. Os olhos dele brilham quando olham para ela. Ela quer sempre saber onde está o irmão e o enche de beijos e abraços – um tanto apertados de mais. Sim, brigam e disputam o colo da mamãe, mas se amam, e como é gostoso ver esse amor entre os 2. Penso que essa cumplicidade que eles estão criando vai ser maravilhosa conforme eles forem crescendo, se desenvolvendo e aprendendo juntos.

Apesar do cansaço, me sinto plenamente realizada com meus dois pequenos. Cada um tem um jeitinho, cada um tem um sorriso, cada um tem um cheirinho, cada um tem sua personalidade. Esse é um ponto que eu estou achando muito bacana, observar como cada um vai desenvolvendo a sua personalidade. Apesar de serem criados juntos, na mesma família, na mesma época, cada um é único e tem tem a sua essência.

Em suma, esse ano foi muito intenso aqui em casa e me trouxe muito aprendizado. Me ensinou principalmente que aquele ditado popular é muito real: “em coração de mãe sempre cabe mais um”.

Beijokas, Denise.

Helena e Gustavo.

 

 

 

 

 

Veja também

Favoritos de Março.

Olá meninas, tudo bem? Sempre gosto de vir contar aqui para vocês as novidades do ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *