Home / Saúde da Mulher / Dúvidas de Consultório: Pílula causa Trombose?

Dúvidas de Consultório: Pílula causa Trombose?

Olá meninas, tudo bem?

Cada dia mais recebo pacientes preocupadas com os Riscos de Trombose relacionados com o uso dos Métodos Contraceptivos. E essa preocupação tem fundamento, mas tem que ser bem avaliada e entendida para não gerar pavor além da medida.

Fonte Foto: Fotolia. Pílula x Trombose.
Fonte Foto: Fotolia. Pílula x Trombose.

Os métodos anti-concepcionais hormonais estão sim associados a um maior risco de doenças tromboembólicas, tais como a TVP (Trombose Venosa Profunda) ou a TEP (Tromboembolismo Pulmonar) comparando-se as usuárias com as não usuárias. No entanto, esse risco é bem pequeno quando estudamos a população geral (algo em torno de 5 eventos para 10.000 usuárias de pílula). Esse risco na grande maioria das vezes está associado os métodos que usam a combinação de 2 tipos de hormônios – estrogênio e progesterona.

Por outro lado, os métodos contraceptivos hormonais estão ligados a prevenção de inúmeras doenças tão graves quanto, tais como câncer de ovário e de endométrio, endometriose, miomatose uterina, adenomiose e outras.

Além disso, as pílulas previnem as gestações não planejadas, e as doenças tromboembólicas são muito mais frequentes nas mulheres grávidas ou puérperas (período subsequente ao parto), do que nas usuárias de pílulas. Ou seja, usar pílula leva a um risco pouco elevado de TVP e TEP, mas não usar e engravidar pode levar a um risco bem maior das mesmas doenças.

Então, com todas essas informações, como proceder? Usar ou não as pílulas e os outros métodos contraceptivos hormonais?

Aí é que está o grande X da questão: NÃO existe uma resposta UNÂNIME. Cada caso é um caso. Cada paciente é uma paciente. Por isso o mais importante de tudo é começar com uma boa consulta médica para avaliar se cada mulher, em sua fase reprodutiva, deverá ou não receber os hormônios anticoncepcionais.

A consulta médica é fundamental para primeiramente identificar as mulheres candidatas a anticoncepção. A partir daí, avaliar quais os RISCOS individuais de cada mulher com uma boa anamnese, tanto para as doenças tromboembólicas quanto para as demais doenças. Seguindo, realizar exame físico e exames complementares que forem necessários para melhor conclusão diagnóstica. Por fim, decidir pela melhor terapia para cada caso.

A avaliação dos riscos é fundamental na correta indicação terapêutica e, dentre os riscos aumentados para as doenças tromboembólicas destaco:

  • história anterior de trombose ou outras doenças vasculares;
  • história familiar das mesmas doenças;
  • idade superior a 40 anos;
  • tabagismo;
  • risco de repouso prolongado ou imobilidade;
  • obesidade;
  • hipertensão arterial;
  • varizes profundas;
  • distúrbios da coagulação.

Então, gostaria de deixar a mensagem de que os anticoncepcionais hormonais podem sim estar associados ao risco de trombose e outros eventos tromboembólicos, por isso nunca devem ser usados sem indicação médica. No entanto esse risco é relativamente baixo na população geral, então não justifica parar de usar esse tipo de medicamento frente aos benefícios que pode trazer.

Beijokas, Denise.

Veja também

Tenho Corrimento a Vida Inteira!

Se você está achando engraçado o título deste post, saiba que essa é uma frase ...

2 Comentários

  1. E quanto as injeções? Podem causar trombose também? Achei este site com informações sobre a injeção Cyclofemina http://cyclofemina.com.br/ mas não achei sobre isso. Aguardo resposta!

    • Olá Julia,
      O estrogênio que está presente na maioria das pílulas de uso oral está mais relacionado aos eventos tromboembólicos. Mas para mulheres com fatores de risco associados todo método anticoncepcional combinado pode oferecer um risco sim. Nesse caso seria importante uma consulta médica para avaliar seus riscos antes de iniciar o uso.
      Abraços, Denise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *