Home / Lactante / Anticoncepção Pós Parto

Anticoncepção Pós Parto

Olá meninas, tudo bem?

Hoje vamos falar com as mamães que acabaram de ganhar seus filhotes, e não estão planejando outro na sequencia. Atendo muitas pacientes no consultório que vem com a seguinte dúvida: “Mas eu posso tomar anticoncepcional enquanto estou amamentando?” E a resposta é Sim. Mas não qualquer método, e sim um apropriado para essa sua fase de vida.

anticoPrimeiramente, acho importante falar dos riscos de engravidar durante a fase de aleitamento materno. Muitas mulheres optam por realizar o método natural de contracepção nesse momento, acreditando ser uma época de menor risco de engravidar. E realmente elas estão certas, mas desde que obedeçam a alguns critérios: a mulher tem que amamentar exclusivamente no peito (isso quer dizer não dar nem água para os bebês), com intervalos curtos entre as mamadas (menos de 4 horas, de dia e de noite), que ainda não voltaram a menstruar e que estejam com até 6 meses do parto. Estas tem uma chance de apenas 2% de engravidar. Realmente é um risco pequeno.

No entanto, se qualquer um desses critérios for perdido (como por exemplo um bebê que dorme a noite toda), esse percentual aumenta e o método natural torna-se menos seguro.

Agora, o problema que vejo com o método natural é que muitas vezes a mulher ovula ainda sem ter menstruado, e vai apresentar o primeiro sangramento em torno de 15 dias após a ovulação. Ou seja, ainda não voltou a menstruar, sente-se segura, mas já está ovulando e com chances de engravidar!

Por isso mesmo, para aquelas mulheres que Não querem ou Não devem engravidar logo após o parto, recomendamos o uso de algum método contraceptivo adicional.

Os métodos não hormonais estão fortemente recomendados e praticamente não apresentam contraindicações. Nessa categoria temos os preservativos feminino e masculino e os dispositivos intrauterinos não hormonais (DIU de cobre). Os preservativos podem ser usados a todo momento, e o DIU pode ser inserido poucos dias após o parto. Vale a pena conversar com seu médico sobre essa possibilidade, lembrando que ela pode ser válida por até 10 anos!

Os métodos hormonais também podem ser utilizados, e em geral optamos por métodos de Progesterona isolados, ou seja, com apenas 1 tipo de hormônio. Para vocês entenderem melhor, grande parte dos anticoncepcionais hormonais é baseada na combinação de 2 tipos de hormônios, estrogênio e progesterona, os chamados anticoncepcionais combinados. Esses não indicamos para as puérperas (mulheres que acabaram de ganhar bebê), pois o estrogênio pode intervir negativamente na produção de leite.

Sendo assim, indicamos métodos de progesterona isolada, e temos várias possibilidades para isso: Pílulas de uso oral, Injetável trimestral, Implante (colocado no braço abaixo da pele) e Dispositivo Intrauterino (DIU Mirena). Todas podem ser utilizadas, e temos vantagens e desvantagens em todas elas, vale a pena individualizar cada opção.

Bem, acho que deu para ter uma ideia né? O importante é que cada casal planeje as duas gestações de maneira cuidadosa e consciente. Filhos são as coisas mais deliciosas que podemos ter, mas fica um tanto mais tranquilo quando eles vêm de maneira planejada, não acham?

Se ficarem mais dúvidas, pergunte para mim. Ou comente aqui em baixo. Vou adorar conversar mais sobre esse assunto!

Beijokas, Denise.

Veja também

Cuidado com as Mamas.

Novo vídeo: 4 Produtos para Cuidar das Mamas durante a Amamentação.

Olá meninas, tudo bem? Duas semanas atrás eu vim falar aqui com vocês sobre Sutiã ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *