Home / Gestante / Sobre Parto: Indicações mais comuns para Cesárea

Sobre Parto: Indicações mais comuns para Cesárea

Olá meninas, tudo bem?

Hoje no Sobre Parto vim falar um pouco sobre o Parto Operatório Via Abdominal, a Cesárea.

O parto via vaginal é o mais indicado para a maioria das mulheres, primeiramente por por oferecer menor risco à saúde da mãe, e também por ser mais adequado ao bebê.

No entanto, em algumas situações ele não é a primeira opção, e nesses casos indicamos a realização da Cesárea. Essas situações podem ser para assegurar a saúde da mãe ou do feto.

Acho que vale a pena frisar que ao mesmo tempo que sempre tentamos melhor a assistência ao parto vaginal, com práticas cada vez mais naturais, contato imediato entre mãe e filha, participação ativa do pai entre outras medidas, o mesmo podemos fazer no parto abdominal. A cirurgia hoje em dia tende a trazer menos desconforto pós operatório e menores complicações do que víamos há alguns anos atrás. Até mesmo o contato pele a pele mãe e filho antes da ligadura do cordão umbilical pode ser feito!

Bom, mas o intuito de hoje é explicar algumas das indicações mais comuns para a Cesárea. Vou listar 10 indicações e tentar explicá-las de uma maneira bem simples. Se você teve outra indicação e dúvidas sobre ela, me diga para eu poder ajudá-la.

  1. Iteratividade: essa é uma das indicações mais comuns. Significa que a mulher já teve 2 ou mais cesáreas anteriores e os próximos partos deverão ser cesáreas também. Isso porque com as cirurgias sucessivas, a cicatriz no útero fica cada vez mais fina e friável, e com as contrações do trabalho de parto sofre um risco de rotura, o que pode ser uma complicação grave.
  2. Posição Fetal Anômala: quando o bebê não se posiciona de cabeça para baixo, como deveria, geralmente indica-se a cesárea. A posição pélvica, com o bumbum ou os pés para baixo ainda permitem o parto vaginal, porém com maiores riscos e tem que ser bem avaliado. A posição córmica, quando o bebê está transverso e o que insinua no colo uterino é por exemplo um braço ou ombro, não permite de maneira alguma o parto vaginal.
  3. Macrossomia Fetal: essa indicação é pelo peso fetal muito acima do esperado. Alguns autores consideram macrossomia fetal peso fetal acima de 4 kg, outros 4,5 Kg. Essa indicação tem que ser bem avaliada em proporção a bacia materna e a evolução do trabalho de parto. Diria ser uma indicação relativa.
  4. Prematuridade Extrema: fetos muito prematuros, que têm indicação de resolução da gestação e peso fetal muito baixo, geralmente nascem pela cesárea pois os traumas do trabalho de parto seriam demasiados para eles suportarem.
  5. Descolamento Prematuro de Placenta: essa é uma indicação de urgência, quando a placenta descola da parede uterina e a mulher imediatamente apresenta um quadro de dor intensa e sangramento, e caso o parto não seja realizado rapidamente o feto deixa de receber oxigênio e pode falecer.
  6. Placenta Prévia: já falei aqui sobre essa intercorrência da gestação, veja em Entenda o que é Placenta Prévia, que significa que a placenta está mais baixa que o feto e o parto poderia provocar muito sangramento sendo também comprometedor para a vida fetal. Nessa situação podemos ter o parto previamente agendado ou sendo feito na urgência.
  7. Complicações Hipertensivas Maternas: a gestação pode trazer inúmeras situações de quadros de Hipertensão Arterial na mulheres, algumas dessas facilmente controladas, que não impedem o parto vaginal, e outras infelizmente não, como Iminência de Eclâmpsia e a Síndrome Help.
  8. Mal Formações Fetais: em alguns casos de mal formações fetais a cesárea pode ser indicada, para reduzir os traumas do parto e aumentar as chances de sobrevida fetal, como por exemplo a Hidrocefalia (aumento do diâmetro cefálico por acúmulo de líquido), a Gastrosquise (deficiência do fechamento da parede abdominal com procidência dos órgãos abdominais) ou a Mielomenigocele (deficiência da coluna vertebral que expõe a medula, as meninges e as raízes nervosas).
  9. Distócias de Parto: por vezes o trabalho de parto começa naturalmente mas infelizmente não evolui como esperado, o bebê pode não descer mesmo com contração ou dilatação, pode estar com a cabeça em posição desfavorável, demonstrar problemas nos batimentos cardíacos,  ou outras situações que prejudiquem o nascimento e então se opta pela cesárea.
  10. Prolapso de Cordão Umbilical: outra situação emergencial onde, após a rotura da bolsa das águas, o cordão umbilical sai na frente do bebê e, se for comprimido pela cabecinha do bebê, pode interromper o transporte de oxigênio.

Bom meninas, não deixem de compartilhar aqui suas dúvidas.

Beijokas, Denise.

Veja também

Tire suas dúvidas sobre Diabetes na Gestação.

Uma das situações que considero mais críticas na Gestação é o Desenvolvimento ou Agravamento da ...

10 Comentários

  1. Tenho 2 cesareas anteriores e estou na terceira gestação… Fui encaminhada para um médico de alto risco, mas dizem q ele não atende mais por motivo de iteratividade e os médicos plantonistas querem me forçar normal, mas não quero!

  2. Estava lendo texto queria esclarecer uma duvida .. estive na maternidade estou com 38 semanas e 1 dia a medica fez o toque estou com o colo grosso posterior e com 1 cm de dilataçao como isso é possivel colo grosso e dilataçao ? Então a medica disse pra voltar daqui 2 semanas onde completo 40 porque possivelmente nao iria dilatar mais e eles iram tentar a induçao …..Sera que nao tem mais chances mesmo de entra em trabalho de parto naturalmente ?

    • Caroline,
      O colo pode iniciar a dilatação sim, mesmo ainda sem esvaecer (ou seja, ainda grosso), em especial dilatação pequena como essa.
      E sim, você pode entrar em trabalho de parto sim.
      Abraços.

  3. Bom dia!
    Estava lendo seu artigo, estou gestante de 29 semanas e algo está me preocupando. Está é minha sexta gestação porém tive dois abortos e uma ectópica com cirurgia e duas cesárias. Meus dois filhos que estão vivos nasceram o primeiro de 37 semanas e o segundo de 38 semanas. Gostaria de saber se posso agendar o parto ou vou ter que entrar em trabalho de parto para poder me dirigir até a maternidade?

  4. BOM, EU TIVER UM FILHO A 14 ANOS ATRAS, QUANDO EU SO TINHA 15 ANOS, O MEDICO FEZ CESARIA POIS NÃO TINHA ESPAÇO P PARTO NORMAL, NESSE MEIO TEMPO TIVE DOIS ABORTOS, E AGORA ESTOU NA 4 GESTAÇÃO COM 33 SEMANAS, GOSTARIA DE SABER SE O MEU PARTO TENDE A SER NORMAL OU CESARIA?
    ATE AGORA A GRAVIDEZ ESTA TOTALMENTE SAUDAVEL, A NÃO SER PELO PROBLEMA QUE TIVE ANO PASSADO, O MEU GINECOLOGISTA ME PROIBIU DE TOMAR ANTI CONCEPCIONAL POIS ESTAVA SENTINDO DORES DE CABEÇAS TÃO FORTE QUE CHAGAVA A DESMAIAR. COM POUCO MESES QUE PAREI SENTI UM LADO DO CORPO TOTALMENTE PARALISADO POR ALGUMA HORAS. E EM POUCOS DIAS CHEGUEI A DESMAIAR E NÃO FALAVA COISA COM COISA, FOI NA URGÊNCIA E O NEUROLOGISTA DISSE Q NÃO PODERIA MAIS USAR ANTICONCEPCIONAL. GASTARIA DE SABER SE CORRO ALGUM RISCO EM UM DOS DOIS TIPOS DE PARTO?

    • Luana,
      Pelo histórico das gestações anteriores, pode ter qualquer tipo de parto.
      Pela história da cefaléia precisa ver se foi algum problema vascular e nesse caso tratar preventivamente contra eventos tromboembólicos.
      Abraços.

  5. Oi tive duas cesária pois não tive dor minha bolsa não estorou ,e agora do meu terceiro tive dor a bolsa estorou dilatei e eles acabaram me levando pra cesariana e fizeram uma cesária prévia não entendi o porque​ eles me falaram depois pra mim não ter mais filhos pois eram arriscado não entendi vc poderia me explicar?

    • Daisy,
      Uma das indicações para cesárea é o que chamamos de Iteratividade. Significa que mulheres que já foram submetidas a 2 ou mais cesáreas anteriores, tem indicações de novas cesáreas, pois o trabalho de parto poderia levar a uma rotura no útero (no local onde é feito o corte para o bebê nascer).
      O risco de novas gestações estaria justamente ligado ao risco dessas roturas, visto que a cicatriz quanto mais repetitiva deixa essa região do útero fragilizada.
      Lembrando que essa é uma recomendação, e não uma imposição.
      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *